Dicas para o bolo perfeito

Fazer o bolo crescer e ficar fofinho não é assim tão fácil! O Studio do Sabor sabe disso e vai compatilhar com vocês algumas dicas para o seu bolo sair pefeito.

Image

Primeiro, é necessário prestar atenção aos ingredientes da receita, às quantidades e à qualidade. Ovos, leite, açúcar, manteiga, farinha e fermento devem sempre estar na temperatura ambiente. Para os ovos, se eles estiverem muito frios, uma dica é colocá-los em uma tigela com água morna.

É preciso aquecer o forno de 20 a 30 minutos antes de colocar a receita para assar. Mais do que isso, é importante medir a forma e verificar se está de acordo com a que está indicada na receita. Caso contrário a massa pode queimar, ficar muito seca ou esparramar.

Para evitar que o bolo murche, não abra o forno nos primeiros 10 minutos em que a massa estiver assando e depois de pronto, cubra o bolo para evitar as correntes de ar . O truque do palitinho para saber se o bolo está pronto nunca falha. Se o palito sair seco, o bolo está no ponto.

Para garantir que o bolo cresça, verifique antes se o seu fermento está ativo. Para isso, coloque uma pitada em 1/2 copo de água morna, se borbulhar, use o ingrediente sem medo.

Para deixar qualquer bolo melhor ainda, adicionar coberturas e recheios é sempre uma boa pedida 😉

O Studio do Sabor sempre tem aulas deliciosas para você se tornar uma cozinheira de mão-cheia, então, inscreva seu email e receba toda a programação:  http://bit.ly/17ySIdg

Receita de quinua com alho-poró e shitake

Quem não exagera um pouco no final de semana? O Studio do Sabor sabe que é difícil se manter na linha, então hoje tem receita light aqui no blog.

quinua-shiitake-cogumelos-studio-do-sabor-receitas

         A nossa escola de culinária sugere um prato com quinua, que não é calórico, contém muitas vitaminas e é super rápido e fácil de fazer.

E claro, uma receita quentinha, para esquentar, nesse frio que está fazendo aqui em São Paulo.

Com vocês: quinua com alho-poró e shitake.

Você vai precisar de:

– 2 xicaras de caldo de legumes

– 1 xícara de água

– 1/2 colher de chá de sal

– 1 e 1/2 xicaras de quinua

– 3 colheres de sopa de salsinha

– 1/4 colher de chá de pimenta do reino

– 3 xicaras de fatias finas de alho-poró

– 4 xicaras de fatias finas de shitake

– 1/4 xicara de vinho branco

-1/2 xicara de nozes picadas

         Modo de preparo:

Junte o caldo, a água e metade do sal em uma panela, esquente até ferver. Coloque a quinua, cubra e diminua o fogo.

Espere até a água secar e misture a salsinha e metade da pimenta. Tire do fogo e mantenha morno.

Em uma frigideira salteie o alho-poró e depois adicione o cogumelo, o vinho , o resto do sal e da pimenta e misture por dois minutos.

Junte em um recipiente a quinua e os vegetais e cubra com as nozes.

Gostou? Bom apetite 😉

E não esquece de se inscrever para receber todas as noticias sobre a programação da escola de culinária Studio do Sabor, aqui: http://bit.ly/17ySIdg

 

A origem do Tiramisù

Amanhã é dia de aula delícia no Studio do Sabor: 6 PRATOS DE INSPIRAÇÃO ITALIANA. Para se inscrever é só clicar aqui: http://bit.ly/17ySIdg . E para dar um gostinho do curso, a gente trouxe a história de um dos pratos que essa aula de culinária vai trazer, o tiramisù.

tiramisu-chocolate-receita-studio-do-sabor

O nome do prato pode ser traduzido do italiano como “me levante”. O nome sugere dois significados, o primero que a sobremesa serve como um “acordador” pois possui dois ingredients com cafeína. O segundo, refere-se à idea do prato ser tão maravilhoso que leva a pessoa longe.

A origem do tiramisù é controversa, já que muitos afirmam que a receita italiana é uma sobremesa recente, criada nos anos 70, em um restaurante chamado Le Beccherie, em Treviso. Outros dizem que a receita é mais antiga e foi desenvolvida na Segunda Guerra Mundial como um prato para os soldados levarem para a guerra. Uma terceira teoria ainda sugere que o tiramisù foi inventado no século XVII para um duque, na Toscana.

Qual você acha que é a verdadeira origem? Bom, amanhã, você vai descobrir como fazer essa deliciosa sobremesa na nossa escola de culinária e se deliciar com a degustação.

Receita Salada 4 Sabores

salada-4-sabores-rucula-studio-do-sabor

Salada é uma opção saudável e deliciosa para todos os dias e, claro, perfeita para quem está de dieta.

Hoje, o Studio do Sabor vai compartilhar uma receita de salada super saborosa para você fazer em casa.

Você vai precisar de :

1 maço de rúcula

2 pêssegos frescos

150 g de mussarela de búfala

150 g de presunto di Parma

2 limões sicilianos

100ml de azeite

Sal



Modo de preparo: 



Faça um tempero com o caldo de limão, o azeite e o sal. Tempere as folhas de rúcula (previamente lavadas e higienizadas). 
Distribua-as num prato grande. 
Coloque os pêssegos, a mussarela de búfala e o presunto di Parma sobre as folhas. Sirva a seguir.

Facinho, não? A escola de culinária Studio do Sabor ensina receitas deliciosas para todas as ocasiões! Mande um email para studio@studiodosabor.com.br para saber sobre as aulas!

E claro, para ficar antenado no mundo da culinária, não deixe de seguir nosso Facebook! É só clicar aqui: http://on.fb.me/123ynUi

Receita de tapenade com queijo de cabra

Tapenade1Vai receber os amigos? Que gostoso!

O Studio do sabor dá  a dica desta entrada para beliscar antes da refeição. Sirva com um vinho branco gelado e será um sucesso.

Tapenade é um prato típico do sul da França. É composto por uma mistura de azeitona (preferencialmente preta), com alcaparra, anchova, tudo picado em pequenos pedaços  e misturados com azeite de oliva. Normalmente servido como entrada para ser servido com pão , pode  ser também utilizado como tempero. Seu sabor típico fez com que rapidamente ficasse conhecido e fosse apreciado em todos os continentes.

Tapenade com queijo de cabra

Ingredientes:

Filés de anchovas em conserva

½ xícara de azeitonas pretas picadas

1 colher (sopa) de alcaparras

1 colher (chá) de suco de limão

4 colheres (sopa) de azeite

1 dente de alho 
Fatias de pão italiano torradas

Queijo de cabra

Folhas para decorar

Modo de preparo:

Colocar em uma peneira, as azeitonas, as alcaparras e os filés de anchovas e deixar sob água corrente por 2 minutos.

Escorrer e transferir para o processador, com o alho, o suco de limão e o azeite. Bater até virar uma pasta e acertar o tempero.

Colocar sobre as fatias de pão com o queijo de cabra.

Decorar com folhas verdes.

Receita de saltimbocca alla romana

OLYMPUS DIGITAL CAMERAA Itália está com tudo este mês em São Paulo. É so ver a linda exposição da arte renascentista italiana no Centro Cultural Banco do Brasil. Há Tiziano, Leonardo, Rafaello e muito mais para ser admirado.

Um dos mais famosos pratos italianos é o Saltimbocca (que em português poderia ser traduzido por saltos na boca), prato popular também no sul da Suíça, Espanha e Grécia. Feito de carne de vitela coberta com presunto e sálvia, marinada em vinho, óleo ou água salgada. E dependendo da região e gosto coberta com alcaparras.

O saltimbocca alla romana, a versão feita em Roma consiste de carne de vitela, presunto e sálvia, enrolada e cozidas em Marsala e manteiga.

Foi adaptado no Brasil e é servidos nos restaurantes italianos em São Paulo como lembra o chef István Wessel: “Uma das minhas lembranças da adolescência era quando no domino meu pai nos levava no Trastevere, que nos anos 60 era o melhor restaurante italiano de São Paulo. Eu sempre pedia o Saltimbocca alla Romana, um prato que eu adorava. O restaurante não existe há décadas, mas cada vez que vejo esse prato em um restaurante eu peço.”

Lá vai a sugestão da chef Monica Sky do Studio do Sabor:

Saltimbocca alla romana

Ingredientes:

Escalopes de filé mignon

Sálvia

Presunto cru

Vinho branco

Farinha de trigo

Sal e pimenta do reino

Manteiga e óleo para fritar

Modo de preparo:

Bater um pouco os filés com a mão, colocar o presunto e a sálvia, prender com o palito, salgar e colocar pimenta somente do outro lado.

Passar os escalopes na farinha de trigo e tirar o excesso batendo neles.

Aquecer uma frigideira, colocar a manteiga e o óleo, fritar com o lado do presunto para baixo, retirar os filés, deglacear com vinho branco, deixar o molho reduzir, espessar o molho com manteiga e farinha de trigo.

Obs: este molho fica bem ralo.

Bom apetite!

Receita de torta de ricota

torta-doce-de-ricotaAqui na nossa escola de culinária, nós adoramos receitas práticas.
Por isso, hoje, o Studio do Sabor compartilha com você uma receita deliciosa de torta doce de ricota.
Arremata com sabor aquele jantar simpático com os amigos. Ou o almoço da família de domingo
Assim, você pode fazer em casa e depois contar para nós, aqui do Studio do Sabor como ficou a receita.
Torta doce de ricota

Ingredientes:

1 xícara (chá) de leite

1 lata de leite condensado

3 xícaras de ricota

2 colheres (sopa) de maisena

1 colher (café) de canela

1 colher (sopa) de manteiga derretida

½ xícara (chá) de uva-passa

1 colher (sopa) de farinha de trigo

1 colher (sopa) de manteiga

Modo de preparo:

No liquidificador coloque o leite, o leite condensado, a ricota, a maisena, a canela e a manteiga derretida. Bata por aproximadamente 3 minutos.

Em uma vasilha, coloque essa massa e misture com as passas polvilhadas, sem excesso de farinha.

Unte com manteiga uma forma de 22 cm de diâmetro e aro removível. Despeje a massa  e leve para assar em forno médio por 40 minutos. Desligue o fogo e deixe descansar dentro do forno por 10 minutos.

Super facinha a receita, não?
Não? A gente ajuda 😉 Conheça a agenda da nossa escola de culinária e inscreva-se nas nossas aulas: http://www.studiodosabor.com.br/

Receita de panqueca com cream cheese

panqueca-cream-cheesePanqueca é um prato que se encontra praticamente em qualquer país do planeta!

Basicamente é um tipo de massa frita, feita com ovos, farinha e leite. Existem muitas variações para a massa, algumas contêm fermento ou outros ingredientes.

São redondas, de variados diâmetros, empilhadas ou dobradas em diferentes formatos.

Ganham recheios e toppings diferentes. Doces ou salgadas.

Podem ser servidas salgadas na hora da refeição ou doces no café da manhã, como nos países da América do Norte.

Evidências arqueológicas mostram que é um dos primeiros pratos de cereal e um dos conhecidos entre as sociedades pré-históricas. Na Grécia antiga a mais antiga referência aparece no século V AC.

Mas além de sua versatilidade uma de suas qualidades é sem dúvida a facilidade de seu preparo. O Studio do Sabor ensina uma receita saborosa e express para você:

Panqueca com cream cheese

Ingredientes:

1 xícara (chá) de leite

1 xícara (chá) de farinha de trigo

2 ovos inteiros

Sal a gosto

2 colheres (sopa) de óleo

Recheio:

½ xícara de tomate seco picado

1 xícara de cream cheese

Queijo parmesão ralado para polvilhar

Modo de preparo:

Massa:

Bater no liquidificador. Fritar em frigideira de teflon e reservar.

Recheio:

Pique o tomate e misture com o cream cheese recheando cada massa de panqueca e fazendo o formato que desejar.

Coloque em forma refratária despeje um pouco de molho de tomate por cima das panquecas e polvilhe com queijo ralado. Leve ao forno pré-aquecido por 10 minutos para esquentar, e dar uma ligeira amolecida no cream cheese.

Receita de filé de frango no papelote

file-de-frango-papeloteO Studio do Sabor tem uma ótima sugestão: troque a salada sem graça por esse prato nutritivo, proteico e cheio de sabor. É bem fácil de ser preparada. E a boa notícia é que ela pesa quase nada na balança. É light. Delicie-se!

Filé de frango no papelote

Ingredientes:

5 filés de frango abertos

1 alho-poró cortado a Julienne (ou abobrinha)

1 cenoura cortada a Julienne

1 cebola cortada a Julienne

Margarina light (quanto bastar)

Alecrim a gosto (ou a erva de sua preferência)

Shoyu light a gosto

Sal e pimenta do reino a gosto

Papel alumínio

Modo de preparo:

Tempere os filés com sal e pimenta do reino. Abra retângulos de papel alumínio e unte-os com um pouco de margarina.

Coloque os filés de frango sobre o alumínio e por cima os vegetais. Adicione uma “colher de cafezinho” de margarina light em cima de cada preparação juntamente com o shoyu.

Feche o papelote hermeticamente e leve ao forno preaquecido (180o C) por volta de 10 a 15 minutos.

Retire do forno e abra o papelote com atenção por causa do vapor.

Bom apetite!

Receita de arroz-doce

arroz-doceAcredita-se que o cultivo de arroz iniciou-se no vales de Myanmar, ou Birmânia, país da Ásia que faz fronteira com a China, Laos e Tailândia. Arqueólogos acreditam que os extratos de grãos de arroz achados nesse local têm quase 7 mil anos. Hoje encontramos mais de 40 mil tipos diferentes de arroz cultivados no mundo.

O arroz-doce, normalmente cozido em leite e acúcar, é uma iguaria popular em todos os lugares onde o arroz é conhecido, não só no Brasil, como pensamos muitas vezes. Em todos os países da Ásia, de onde é originário, da Europa e da África, para onde foi levado por antigos viajantes e comerciantes, e das Américas, para onde foi levado pelos colonos europeus, existe uma tradição de arroz-doce. 

O arroz pode ser cozido diretamente no leite, ou em água e açúcar, juntando mais tarde leite condensado (no Brasil) ou nata. Acrescenta-se  amêndoas, como na Dinamarca, ou frutas e chocolate como em outros países europeus. Ou temperos como canela, como no Brasil.

Arroz-doce

Ingredientes:

1 xícara (chá) de arroz

4 xícaras (chá) de água

1 litro de leite

1 lata de leite condensado

1 lata de creme de leite

Canela a gosto

Modo de preparo:

Lave o arroz em água corrente e escorra.

Leve para cozinhar com água.

Quando estiver quase seco, junte o leite e deixe ferver bem.

Em seguida, coloque o leite condensado e deixe ferver mais um pouco para engrossar.

Junte então o creme de leite e espere levantar fervura novamente.

Coloque a canela e sirva quente ou frio.

Bom apetite!