Receita italiana!

receita-cozinha-italiana-couve-flor-gratinado-couve-flor-macarrão-studio-do-sabor

Amanhã  já é sábado, delicia, não? Então, o Studio do Sabor vai compartilhar com vocês uma deliciosa e fácil receita italiana para fazer no almoço de domingo.

Essa receita vai agradar a todos: Gratinado de couve-flor! Primeiro,  vamos aos ingredientes:

400 gr de maccheroncini

50 gr de pinoli

1 maço de cebolinha

2/3 xicara de farinha de rosca

50 gr de file de anchova

1 dente de alho

1 pé de couve flor

1 pitada de açafrão

sal e pimenta a gosto

Para preparar:

Cozinhe a couve-flor e conserve a água do cozimento.

Doure o alho e a cebolinha picados no azeite, junte as anchovas amassando-as com um garfo, coloque o pinoli e a couve-flor em cortada em pedacinhos e o açafrão. Deixe cozinhar por 10 minutos.

Coloque o macarrão na água do cozimento da couve-flor e deixe por 8 minutos. Coloque o macarrão e o molho em um travessa, polvilhe com farinha de rosca e leve ao forno (220º) por alguns minutos para gratinar.

Esperamos que fique uma delícia ! E não esqueça de se inscrever para saber tudo o que rola na nossa escola de culinária! É só clicar no link: http://bit.ly/1aHxivZ

Aproveite para curtir nosso Facebook! É só clicar no link: http://on.fb.me/123ynUi

 

Dicas para o bolo perfeito

Fazer o bolo crescer e ficar fofinho não é assim tão fácil! O Studio do Sabor sabe disso e vai compatilhar com vocês algumas dicas para o seu bolo sair pefeito.

Image

Primeiro, é necessário prestar atenção aos ingredientes da receita, às quantidades e à qualidade. Ovos, leite, açúcar, manteiga, farinha e fermento devem sempre estar na temperatura ambiente. Para os ovos, se eles estiverem muito frios, uma dica é colocá-los em uma tigela com água morna.

É preciso aquecer o forno de 20 a 30 minutos antes de colocar a receita para assar. Mais do que isso, é importante medir a forma e verificar se está de acordo com a que está indicada na receita. Caso contrário a massa pode queimar, ficar muito seca ou esparramar.

Para evitar que o bolo murche, não abra o forno nos primeiros 10 minutos em que a massa estiver assando e depois de pronto, cubra o bolo para evitar as correntes de ar . O truque do palitinho para saber se o bolo está pronto nunca falha. Se o palito sair seco, o bolo está no ponto.

Para garantir que o bolo cresça, verifique antes se o seu fermento está ativo. Para isso, coloque uma pitada em 1/2 copo de água morna, se borbulhar, use o ingrediente sem medo.

Para deixar qualquer bolo melhor ainda, adicionar coberturas e recheios é sempre uma boa pedida 😉

O Studio do Sabor sempre tem aulas deliciosas para você se tornar uma cozinheira de mão-cheia, então, inscreva seu email e receba toda a programação:  http://bit.ly/17ySIdg

Receita de quinua com alho-poró e shitake

Quem não exagera um pouco no final de semana? O Studio do Sabor sabe que é difícil se manter na linha, então hoje tem receita light aqui no blog.

quinua-shiitake-cogumelos-studio-do-sabor-receitas

         A nossa escola de culinária sugere um prato com quinua, que não é calórico, contém muitas vitaminas e é super rápido e fácil de fazer.

E claro, uma receita quentinha, para esquentar, nesse frio que está fazendo aqui em São Paulo.

Com vocês: quinua com alho-poró e shitake.

Você vai precisar de:

– 2 xicaras de caldo de legumes

– 1 xícara de água

– 1/2 colher de chá de sal

– 1 e 1/2 xicaras de quinua

– 3 colheres de sopa de salsinha

– 1/4 colher de chá de pimenta do reino

– 3 xicaras de fatias finas de alho-poró

– 4 xicaras de fatias finas de shitake

– 1/4 xicara de vinho branco

-1/2 xicara de nozes picadas

         Modo de preparo:

Junte o caldo, a água e metade do sal em uma panela, esquente até ferver. Coloque a quinua, cubra e diminua o fogo.

Espere até a água secar e misture a salsinha e metade da pimenta. Tire do fogo e mantenha morno.

Em uma frigideira salteie o alho-poró e depois adicione o cogumelo, o vinho , o resto do sal e da pimenta e misture por dois minutos.

Junte em um recipiente a quinua e os vegetais e cubra com as nozes.

Gostou? Bom apetite 😉

E não esquece de se inscrever para receber todas as noticias sobre a programação da escola de culinária Studio do Sabor, aqui: http://bit.ly/17ySIdg

 

A origem do Tiramisù

Amanhã é dia de aula delícia no Studio do Sabor: 6 PRATOS DE INSPIRAÇÃO ITALIANA. Para se inscrever é só clicar aqui: http://bit.ly/17ySIdg . E para dar um gostinho do curso, a gente trouxe a história de um dos pratos que essa aula de culinária vai trazer, o tiramisù.

tiramisu-chocolate-receita-studio-do-sabor

O nome do prato pode ser traduzido do italiano como “me levante”. O nome sugere dois significados, o primero que a sobremesa serve como um “acordador” pois possui dois ingredients com cafeína. O segundo, refere-se à idea do prato ser tão maravilhoso que leva a pessoa longe.

A origem do tiramisù é controversa, já que muitos afirmam que a receita italiana é uma sobremesa recente, criada nos anos 70, em um restaurante chamado Le Beccherie, em Treviso. Outros dizem que a receita é mais antiga e foi desenvolvida na Segunda Guerra Mundial como um prato para os soldados levarem para a guerra. Uma terceira teoria ainda sugere que o tiramisù foi inventado no século XVII para um duque, na Toscana.

Qual você acha que é a verdadeira origem? Bom, amanhã, você vai descobrir como fazer essa deliciosa sobremesa na nossa escola de culinária e se deliciar com a degustação.

Receita: sopa de cebola

sopa-de-cebolaA sopa francesa de cebola (soupe à l’oignon, em francês) é aquela com base em caldo de carne, ou 50% caldo de galinha e 50% caldo de carne, servida com pão e queijo gratinado. De origem antiga, esse prato se popularizou na década de 1960, nos Estados Unidos, quando a cozinha francesa esteve em moda.

O sabor substancioso da base não é devido apenas ao caldo, mas também às cebolas caramelizadas, que neste caso é o processo em que são cozidas lentamente, tornando-as castanhas e mais adocicadas. Algumas receitas sugerem meia hora como tempo de cozimento, mas muitos chefs e cozinheiros deixam por muito mais, para que seja realçado o gosto dos acúcares. Depois é preciso ‘suar’ as cebolas para tirar o líquido, isso pode ser feito lançando-as na gordura (azeite, manteiga ou gordura de bacon) e com a adição do sal. Em seguida, cobrindo a panela para deixar as cebolas cozinharem em fogo muito baixo. O sal e calor tiram o líquido das cebolas.

Feita a base da sopa, ela é geralmente polvilhada com croûtons, pequenos pedaços de pão, frito ou assado com óleo, azeite ou manteiga. E depois coberta com queijo que é assado ou grelhado (gratinée), que faz parte do nome completo da sopa: soupe à l’oignon gratinée.

Há outras variações para essa sopa fácil e deliciosa! Aqui vai a indicada pelo Studio do Sabor:

Sopa de cebola

Ingredientes:

5 colheres (sopa) de manteiga

2 colheres (sopa) de azeite de oliva

1 kg de cebolas cortadas em finas rodelas

2 dentes de alho amassados

2 litros de caldo de carne

1 colher (sopa) de farinha de trigo

Queijo tipo parmesão ralado para polvilhar

Fatias de pão torradas

Sal e pimenta-do-reino moída a gosto

Modo de preparo:

Numa panela, aquecer a manteiga com o azeite de oliva. Colocar as cebolas e, mexendo seguidamente, deixá-las no fogo até ficarem bem douradas, quase escuras.

Acrescentar os dentes de alho amassados e misturar bem.

Juntar o caldo de carne e continuar o cozimento em fogo baixo, mexendo de vez em quando, até as cebolas ficarem quase totalmente diluídas.

Dissolver a farinha de trigo em meia xícara (chá) de água, juntá-la à sopa e mexer bem, para evitar grumos.

Temperar com sal e pimenta-do-reino.

No momento de servir, colocar as torradas no fundo de tigelas refratárias individuais e derramar a sopa quente em cima.

Polvilhar com abundante queijo ralado e levar a sopa ao forno médio pré-aquecido para gratinar.

Servir imediatamente.

Bom apetite!

BOEF BOURGUIGNON

boef-bourguignonO bœuf bourguignon é um dos mais famosos pratos da culinária francesa tradicional.

Julia Child em seu livro ‘Dominando a Arte da Culinária Francesa’ o descreve  como “certamente um dos mais deliciosos pratos de carne inventadas pelo homem”.

Tem origem na região da Borgonha (em francês, Bourgogne), no leste da França, assim como outros pratos famosos como o coq au vin e o escargot.

É um cozido preparado com carne assada no vinho tinto e caldo de carne, geralmente aromatizado com alho, cebola e bouquet garni, com minicebolas e cogumelos adicionadas no final do cozimento.

Fala-se  que o bœuf bourguignon é um dos muitos exemplos de pratos camponeses que foi  lentamente refinado pela alta cozinha francesa.

No 14 de julho o Studio do Sabor presta sua homenagem à cozinha francesa:

BOEUF BOURGUIGNON

Ingredientes:

  • 1kg de músculo, alcatra ou filé mignon em cubos
  • 150g de toucinho
  • 4 colheres (sopa) de óleo ou manteiga
  • 2 cebolas picadas
  • Cenouras baby a gosto
  • 3 dentes de alho picados
  • 600ml de vinho tinto seco
  • 400 ml de fundo de carne
  • 200g de champignons
  • Minicebolas a gosto
  • Açúcar (quanto bastar)
  • Manteiga (quanto bastar)
  • 1 bouquet garni (opcional)
  • Farinha de trigo (quanto bastar)
  • Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de Preparo:

Frite o toucinho com o óleo, na panela, acrescente a cebola e o alho.

Doure a carne, já temperada com sal e pimenta, e já envolvida na farinha de trigo.

Adicione o vinho, deglaceando, e acrescente o fundo de carne e  o bouquet garni.

Cozinhe por aproximadamente 2 horas em fogo baixo, acrescentando o caldo (fundo) e o vinho, sempre que necessário. Na metade do cozimento, acrescente as cenouras e mais ao final, os champignons.

Em uma frigideira, coloque as minicebolas e um pouco de água, deixe cozinhar, e acrescente o  açúcar e a  manteiga para caramelizar as cebolas.

Incorpore à carne. Sirva a seguir.

Bom apetite!

Caldinho de polvo

O polvo é um ingrediente ainda não muito presente na cozinha brasileira, mas com o preparo certo, ele é uma delícia! No Japão, por exemplo, há panquecas com polvo, assim como bolinhos de polvo e muitos sushis que levam o molusco. Na região mediterrânea é preparado com azeite, alho, manjericão, limão,e tomates, em uma bela salada. Já no Peru, o polvo é misturado com milho e tomate. Na Coreia, ele é um aperitivo, servido em bares junto com picles e cerveja.

A textura do polvo é firme e macia. O sabor é único, lembra o mar e tem certa doçura. O Studio do Sabor vai mostrar várias maneiras de preparar o polvo na aula de quinta-feira com o chef Rafa Camargo. Ele vai apresentar diversas receitas com polvo, como terrine de polvo em cama de salada especial, caldinho croata de de polvo, ceviche de polvo e peixe branco, polvo alla rabiata e polvo na torre de batatatas.

Para oferecer aos amigos um jantar super original não faltarão ideias nesta aula de culinária exclusiva do Studio do Sabor.

E aqui uma receita de caldinho de polvo da chef Monica Sky.

Caldinho de Polvo
 
Azeite (quanta bastar)
Alho a gosto
1 cebola grosseiramente picada
1 pimentão verde picado
3 tomates grosseiramente picados
1 cabeça de polvo (já cozida)
1 copo de vinho branco
1  vidro de leite de coco
Sal a gosto
1/2 pimenta de cheiro
Coentro
Páprica Doce
Páprica Picante
3 limões sicilianos
1 tentáculo para finalizar antes de servir
Refogar na frigideira o azeite, o alho, a cebola, o pimentão e os tomatse.
Adicionar os pedaços de polvo (cabeça) e em seguida o vinho. Após alguns instantes, o leite de coco.
Pegue este refogado e bata no liquidificador ligeiramente, com o sal, a pimenta, a páprica doce e a picante.
Sirva em seguida, com pedacinhos de polvo picados e um pouco de limão siciliano. Salpique o coentro moderadamente.
Bom jantar!
polvo-sopa